6 de jul de 2010

Constatações

Esses dias eu me perguntei o motivo pelo qual nós não damos certo.
Eu até fiquei sem dormir à noite, mas quer saber a que conclusão eu cheguei?
A gente sempre deu certo. Desse jeito mesmo, todo torto, sem regras, sem etiquetas, sem hora marcada, sem telefonemas no dia seguinte.
Eu sei que, por mais que fale o contrário, eu queria sim que tudo continuasse como antes. Mas não, agora é você quem procura, e eu quase nunca deixo que você me encontre.
Nosso tempo é diferente. Você está no tempo de querer agora, e eu já não sei mais se quero...
É nessa confusão de querer não querendo, a gente “dá certo” nesses encontros repentinos, nessas ‘esquinas’ que nos cruzamos. Você fala sério comigo, atropela meu raciocínio, me interrompe, não me deixa terminar. Você olha fundo no meu olho, analisa cada detalhe, cada superfície, expressão, cada respiração minha. E sempre. Sempre tem um comentário para ser feito. Você me testa com o seu olhar. Fala com a voz mais perfeita e mais baixa do mundo e mesmo assim me faz ficar surda pro resto de musicas, barulhos, risadas e conversas à nossa volta. Sempre consegue me desarmar. Me faz esquecer de todos os olhares curiosos em cima da gente...
Consegues me fazer esquecer do resto do mundo...


A gente deu, e dá certo! Só não da forma e no tempo que eu queria que acontecesse.

Nenhum comentário: