9 de dez de 2010

Pipoca ou Piruá - Rubem Alves


"As grandes transformações acontecem quando passamos pelo fogo.
Quem não passa pelo fogo, fica do mesmo jeito a vida inteira. São pessoas de uma mesmice e uma dureza assombrosa. Só que elas não percebem e acham que seu jeito de ser é o melhor jeito de ser.
Mas, de repente, vem o fogo. O fogo é quando a vida nos lança numa situação que nunca imaginamos: a dor. Pode ser fogo de fora: perder um amor, perder um filho, o pai, a mãe, perder o emprego ou ficar pobre. Pode ser fogo de dentro: pânico, medo, ansiedade, depressão ou sofrimento, cujas causas ignoramos. Há sempre o recurso do remédio: apagar o fogo! Sem fogo o sofrimento diminui. Com isso, a possibilidade da grande transformação também.

Imagino que a pobre pipoca, fechada dentro da panela, lá dentro cada vez mais quente, pensa que sua hora chegou: vai morrer. Dentro de sua casca dura, fechada em si mesma, ela não pode imaginar um destino diferente para si. Não pode imaginar a transformação que esta sendo preparada para ela. A pipoca não imagina aquilo de que ela é capaz. Aí, sem aviso prévio, pelo poder do fogo a grande transformação acontece: BUM! E ela aparece como uma outra coisa completamente diferente, algo que ela mesma nunca havia sonhado.

Bom, mas ainda temos o piruá, que é o milho de pipoca que se recusa a estourar. São como aquelas pessoas que, por mais que o fogo esquente, se recusam a mudar. Elas acham que não pode existir coisa mais maravilhosa do que o jeito delas serem. A presunção e o medo são a dura casca do milho que não estoura. No entanto, o destino delas é triste, já que ficarão duras, a vida inteira. Não vão se transformar na flor branca, macia e nutritiva. Não vão dar alegria para ninguém.
Extraído do livro "O amor que acende a lua", de Rubem Alves

5 de dez de 2010

Queridos,
Sei que emails de despedidas são um tanto clichês, mas não poderia ir sem antes expressar minha gratidão.
Todos que estão endereçados aqui de alguma forma contribuíram para o meu crescimento ao longo desse 1 ano e meio. Cheguei sem experiência e hoje saio um pouco mais madura.
Aprendi a importância de saber ouvir e respeitar (a si mesmo e ao próximo), e principalmente o valor da humildade na vida e no trabalho em equipe. Parto para viver uma nova experiência, porém com a sensação de dever cumprido.
Agradeço pela oportunidade e amizade que encontrei aqui.

Sucesso aos que ficam!

Maria Antonieta Silva Figueiredo

"Valeu a pena? Tudo vale a pena se a alma não é pequena!
Deus ao mar o perigo e o abismo deu, mas nele é que espelhou o céu..."
Fernando Pessoa

Xxxxx,

Meus sentimentos não passaram, persistem porque não são situações que desaparecem assim... de uma hora pra outra.
Não estou dizendo que a culpa é sua, como eu já te disse, essa distância toda seria inevitável uma hora ou outra. Não quero que se sinta culpada por como estou me sentindo nos últimos meses por não conseguir dar “atenção” aos meus amigos e principalmente à você... É só uma fase... Vai passar!
Eu sei que de algum jeito a minha “melhor amiga” existe e que ainda me ama...
Não se martirize achando que eu penso diferente. Faço minhas suas palavras! O meu problema têm sido conciliar tudo isso que estou vivendo, é muita coisa, não consigo me dedicar 100% em nada...
Sinto falta da sua presença, mesmo que virtual. Meu Orkut tem quinze páginas sem seus recadinhos, meu celular não recebe mais suas mensagens...
Não estou cobrando você, essas são uma espécie de cobranças a mim mesma, porque são coisas que dava pra permanecer mesmo com a distância e essa vida corrida que eu tô levando... Sei que você me entende!
Foram por essas pequenas coisas pelas quais você achou que eu estava distante. E realmente fiquei triste por pensar justamente a mesma coisa de você. Nós duas sentindo falta do que poderia, por um simples gesto, repor a falta que uma fazia a outra...
Tem um milhão de coisas que me fazem lembrar de você, que me lembra “a gente”... Não tem um dia sequer que minha cabeça não fica rodando com essas “memórias” . É muito foda, e eu sei que você entende isso também, são tantos lugares, tantas coisas, fotos, piadas!
Parecem bobagens né!?
...Mas eu SINTO a sua falta...

Escrito em jul/2010