20 de fev de 2012

A primeira carta que eu li foi a SUA, a primeira foto que eu vi foi a NOSSA.
Não tem jeito. Eu tô em você, você tá em mim.
Passarão os anos, mas isso não mudará. Meus sentimentos por você, mesmo com todas as transformações, não cessarão, embora sejam vividos de forma diferente em razão da vida corrida.
Não gosto, não queria que fosse desse jeito, é involuntário, não escolhi que fosse assim, mas nós temos de crescer para todos os lados, pro amor, pra família, pra profissão. O que me conforta é o fato de que, embora eu seja obrigada a crescer, existe um núcleo em mim que nunca muda e você faz parte dele. É forte, “corrente de titânio”, não quebra, não desmancha. Só vai embora se eu explodir!

Julho/2011

Nenhum comentário: